Mobilidade e estabilidade de quadril num único exercício.

Compartilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail this to someone
Foto: divulgação

Foto: divulgação

O treinamento físico mudou muito nos último 10 anos. O que antes era uma necessidade estética e recomendação médica, seja cardiovascular ou de reabilitação, o treinamento era muito focado em músculos isolados.

 Trabalhávamos sentados em máquinas ou caminhando em esteiras que  em pouco contribuem para nosso desenvolvimento físico e coordenativo.
As máquinas de musculação podem ser boas aliadas quando o objetivo é desenvolver um determinado músculo com objetivo estético ou fisioterápico, como acontece numa máquina flexora para isquiotibiais (músculo posterior da coxa), mas se o objetivo é se preparar para um esporte onde o corpo age como um todo e os músculos agem em várias articulações e movimentos, neste caso as máquinas são tão obsoletas como o toca fitas. Ainda funcionam, mas temos tecnologias melhores do que essa.

No que se refere ao treinamento físico, seja para o golfista, para o corredor, o jogador de tênis ou mesmo para qualquer pessoa que deseje se sentir melhor fisicamente, o que devemos procurar num treinamento é a funcionalidade e a qualidade coordenativa dos exercícios. Movimentos usando o próprio peso, bilaterais e em vários planos de movimento são completos e vão preparar o individuo para qualquer atividade.

Foto: divulgação

Foto: divulgação

Outra razão para evitar os aparelhos sentados é que a nossa vida já nos obriga a sentar de mais durante o dia. No carro, no trabalho, para fazer as refeições… passamos grande parte do dia sentados o que afeta a saúde da nossa coluna e do nosso sistema circulatório e hormonal. Se no único momento que o objetivo é mover seu corpo para ganhar saúde, você vai lá e senta mais um pouco, pode considerar esse treino um desserviço á sua saúde.

O quadril é um exemplo de uma articulação extremamente complexa e importante. Para o golfista é essencial desenvolver a estabilidade desta região para evitar os movimentos laterais do swing como o slide e o sway, mas ao mesmo tempo se não tiver mobilidade na região (rotação interna, externa, abdução, adução e circundação) a estrutura não trabalha apropriadamente e pode afetar a ação das articulações acima (lombar) ou abaixo (joelhos).
O exercício que sugiro a seguir é um simples se levantar e se ajoelhar com um desafio coordenativo de rotação de tronco. Não se preocupe com o gasto calórico dos exercícios e sim com o ganho de qualidade no padrão de movimento e a correção de compensações.
Edição: 

Veja também:

Conhecidos os finalistas do 60º Torneio Pé Duro APG Conhecidos os finalistas do 60º Torneio Pé Duro APG
7º Etapa do Riviera Golf Tour neste sábado, dia 17 de setembro 7º Etapa do Riviera Golf Tour neste sábado, dia 17 de setembro
Grupo Primavera realiza 14º Festival Primavera de Golfe neste sábado em Campinas Grupo Primavera realiza 14º Festival Primavera de Golfe neste sábado em Campinas
Uma grande festa de golfe no 12º Torneio Internacional da APG no PGA National Resort, em Palm Beach Uma grande festa de golfe no 12º Torneio Internacional da APG no PGA National Resort, em Palm Beach
© 2019 Jornal do Golfe. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.
Toborino Software