Lista/Grade

Dra. Rossana Quessa: Lesões em golfistas acima dos 40 anos

Compartilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail this to someone
Dra. Rossana Quessa

Dra. Rossana Quessa

O golfe é um esporte de grande exigência física, durante o gesto do movimento esportivo, que é o swing, a cabeça do taco move-se a uma velocidade acima de 160 km/h. Os jogadores amadores atingem aproximadamente 90% de pico de atividade muscular durante o movimento esportivo e executam mais de 60 tacadas por jogo, não contando os putters.

Como os praticantes do esporte não se cuidam preventivamente, o número de lesões relacionadas ao golfe também tem aumentado. A faixa etária da maioria dos jogadores geralmente é acima de 40 anos, idade na qual ossos, músculos, tendões e articulações começam a ter alterações degenerativas. E a causa mais comum das lesões está relacionada ao movimento repetitivo relacionado ao swing, que pode ser exacerbado pelo gesto esportivo incorreto, assim como pelo treinamento e jogo excessivo.

Geralmente, a ocorrência das dores é aumentada conforme a idade do atleta avança, pois frequentemente existem lesões pré-existentes de características degenerativas, as quais associadas com o movimento repetitivo do esporte acabam por interromper a sequência de jogo do desportista para tratamento. Com relação às lesões ortopédicas, a lombalgia é uma das principais lesões relacionadas com o golfe, representando 30% de todas as lesões e o acometimento na sua maioria ocorre no sexo masculino.

Dra. Rossana Quessa

Dra. Rossana Quessa

Geralmente, as lesões são resultantes de “overuse” (excesso de uso), mais recorrente no caso de jogadores profissionais e no caso dos amadores, o movimento de swing inadequado é a causa mais comum. Lesões nas extremidades superiores podem afetar as mãos, os cotovelos e os ombros e geralmente são resultantes do impacto durante o swing.

O ombro tem uma incidência de lesão no golfe em torno de 17% e em amadores europeus, ele chega a ser a 2ª causa mais comum de lesão. Lesões do manguito rotador do ombro e impacto subacromial envolvendo o lado esquerdo estão entre as causas mais comuns de dor no ombro no jogador destro. Como a ocorrência de alterações morfológicas em pessoas acima de 60 anos é alta, a associação dos movimentos repetitivos do swing em pacientes com esses fatores de risco, favorece a ocorrência de lesões nessa faixa etária.

Já o cotovelo é uma área que da até nome a uma lesão do golfe, que é a tendinite medial do cotovelo ou “golfer’s elbow”. As lesões nessa área são frequentes e acometem na sua maioria amadores e geralmente é traumática, ou seja, pelo impacto do taco em outro objeto que não a bola, podendo ser uma pedra, areia densa ou até mesmo o solo.

A causa mais comum da dor lateral do cotovelo está relacionada com sobrecarga por movimentos repetitivos, como a sobrecarga decorrente de alterações no grip em amadores e a força excessiva na empunhadura e grips escorregadios são causas comuns enquanto a epicondilite medial é traumática, relacionada a desacelaração súbita do taco.

Nos membros inferiores, as lesões são incomuns no golfe, representam cerca de 1% das lesões em profissionais e 3 % em amadores. No entanto, em jogadores seniores é uma queixa comum e está relacionada à artrose.

A avaliação do gesto esportivo e a investigação do momento do swing em que a dor se manifesta são fundamentais para o tratamento e prevenção das lesões no golfe. O diagnóstico especializado das alterações músculos esqueléticas é essencial, pois outras afecções podem coexistir. O prognóstico de retorno ao esporte é variável e deve ser individualizado, de acordo com o diagnóstico específico, idade, do paciente e gravidade dos sintomas.

Por isso, é de fundamental importância o conhecimento do fisioterapeuta sobre biomecânica e força do swing do golfe para diagnosticar e gerenciar o vasto espectro de lesões relacionadas ao esporte.

Dra. Rossana Quessa , graduada Fisioterapia pela Unesp e certificada pela Titlest Performance Institute Level l.

www.fisioibirapuera.com.br

 

Veja também:

XIII Taça Zumbi dos Palmares no Campo Olímpico XIII Taça Zumbi dos Palmares no Campo Olímpico
Juvenil de SP: Isa Fernal, de Poços, e Enzo Lee, do São Fernando, vencem no Damha Juvenil de SP: Isa Fernal, de Poços, e Enzo Lee, do São Fernando, vencem no Damha
Participe do Terras Friends – With Awards, dia 30 de outubro, no Terras de São José Participe do Terras Friends – With Awards, dia 30 de outubro, no Terras de São José
Guilherme Grinberg é bicampeão do Aberto do Itanhangá no Rio de Janeiro Guilherme Grinberg é bicampeão do Aberto do Itanhangá no Rio de Janeiro
© 2020 Jornal do Golfe. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.
Toborino Software