Lista/Grade

Usar ou não usar celular no campo de golfe?

celular1Olá Golfistas,

O artigo de hoje trata o uso de celulares em uma partida de golfe.

Como todos sabem, o golfe é um esporte com mais de quinhentos anos, e sofre alterações com o tempo, procurando se atualizar, mas sem perder as características tradicionais básicas, que convenhamos, é o charme do esporte.

Sou a favor de manter as regras básicas de etiqueta, como traje adequado à pratica do esporte, zelar pela segurança de todos, não falar durante a tacada de outro jogador, cuidar do campo, etc…

A etiqueta no campo de Golfe é tão importante que é apresentada na primeira seção do Livro das Regras de Golfe.

Tiger Woods

Tiger Woods

Nos últimos anos temos enfrentado os avanços tecnológicos que atingem todas as áreas, inclusive os campos de golfe, com o advento de equipamentos eletrônicos e dos celulares. Muitos não entendem como conseguiram sobreviver até recentemente sem ter um celular, para fazer praticamente tudo, e acredite, até para telefonar!

O tema permitir ou não permitir o uso de celulares no campo de golfe é quase como religião ou política, sempre gera calorosas discussões.

No início, quando celular era raro e para poucos, nada constava nas regras de competição. Com o tempo, incluiu-se no regulamento das competições a proibição do uso do celular, cuja transgressão era punida com a desclassificação.

Os jogadores então passaram a não atender o celular, e ele ficava tocando insistentemente, perturbando a todos, e o dono não era punido, pois ele não estava usando o celular (sic!).

Mudou-se então os regulamentos para a proibição do porte de celular no campo. É claro que isso não fez sucesso. Quem ficaria responsável pelo celular enquanto o jogador estivesse no campo? E se um jogador sofresse um mal súbito e uma emergência precisasse ser acionada?

Voltaram então para a proibição do uso do celular e que o mesmo não deva distrair os outros jogadores, sugerindo que o mantivesse desligado durante a partida.

 As penalidades também foram revistas, pois atualmente é consenso que na primeira ocorrência, o jogador sofreria uma advertência e no caso de reincidência, seria desclassificado. Esta determinação parece de maior consenso, pois cobre inclusive exceções, como a utilização do celular por um médico que esteja em plantão, e pode ser acionado a qualquer momento.

A pergunta recorrente é o motivo de tal proibição. Para simplificar, podemos citar que seria uma grave violação a etiqueta, que no Livro de Regras cita: O jogador deveria se certificar de que qualquer dispositivo eletrônico levado para o campo não distraia os outros jogadores.

A penalidade de desclassificação para esta grave violação pode ser definida pela comissão da competição, de acordo com a Regra 33-7. Outro caso, embora improvável, o jogador poderia ligar para alguém e pedir informações como deveria proceder na condução do jogo.

Isso seria uma violação à Regra 8-1b (pedir conselho para alguém que não seja seu parceiro ou qualquer dos seus caddies), e consequentemente violando a Regra 14-3, por usar um dispositivo artificial para auxiliar na sua tacada, cuja penalidade seria a desclassificação.

Tenho visto algumas pessoas defenderem uma penalidade mais branda, como aplicar uma ou duas tacadas de penalidade. Infelizmente isso não é uma alternativa. A única punição permitida pelas Regras do Golfe seria a desclassificação.

Até a próxima,
J. Nabuco

Edição: 

Veja também:

08/11/2016 08/11/2016
Circuito de Verão do São Paulo Futebol Clube no Guarapiranga Circuito de Verão do São Paulo Futebol Clube no Guarapiranga
6º Torneio do Porco PRO-AM nesta sexta-feira, dia 9, no Terras de São José 6º Torneio do Porco PRO-AM nesta sexta-feira, dia 9, no Terras de São José
Antonio Padula reeleito para novo mandato na Federação Paulista de Golfe Antonio Padula reeleito para novo mandato na Federação Paulista de Golfe
© 2022 Jornal do Golfe. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.
Toborino Software